Globo Legal Hackathon 2019 fomenta projetos para facilitar acesso ao setor jurídico e premia equipes em Balneário Camboriú

Posted by | 26 de fevereiro de 2019 | Educação | No Comments

Facilitar o acesso à justiça foi o principal objetivo do Globo Legal Hackathon 2019, organizado pela empresa catarinense de tecnologia Gestalt Open Innovation, em parceria com o Centro Universitário UniAvan, entre os dias 22 e 24 de fevereiro. O evento reuniu cerca de oitenta participantes que criaram soluções rápidas e inovadoras desenvolvidas dentro do setor jurídico e ainda premiou os projetos com maior impacto na sociedade.

Ao todo, os participantes tiveram 54 horas para apresentação do produto final. No primeiro dia de competição, um painel com juristas e desenvolvedores tecnológicos apresentou vertentes de tecnologia atreladas a área jurídica para incentivar os competidores. No segundo dia, seis equipes foram formadas com ideias dentro dos direitos humanos, propostas de valores e validação de projetos. Cada equipe foi às ruas identificar pessoas e problemas que seriam solucionados. Mais de cinquenta mentores e especialistas auxiliaram os competidores a desenvolverem as soluções, mvp e um protótipo que foi apresentado à banca julgadora no último dia de competição.

A equipe Easy Legal, composta por designers, desenvolvedores e a advogados, foi a grande vencedora do evento e garantiu, além do 1° lugar, um cheque no valor de R$2.500,00 e bolsa de 15% na pós-graduação da Uniavan com o projeto de um aplicativo que democratiza o entendimento de informação jurídica global aos cidadãos, facilitando a linguagem jurídica e a comunicação entre advogados e clientes. “Esse foi o primeiro Hackathon do qual eu participei. Quando chegamos lá na sexta-feira mal sabíamos o suficiente sobre a área jurídica brasileira e depois desse evento conseguimos criar uma solução que facilita a vida de pessoas envolvidas com os processos. Nosso objetivo maior é criar um dicionário amplo dessa linguagem jurídica a fim de trazer mais clareza na informação para a população de modo geral”, ressalta a design Amanda Andreza Coelho, integrante da equipe vencedora.

Em 2° lugar, recebendo um cheque no valor de R$1.500,00, ficou a equipe 2Brave que desenvolveu uma ferramenta em que advogadas mulheres auxiliam de forma anônima vítimas da violência doméstica com legislação e educação jurídica. E em 3° lugar, com o valor de R$500,00, a equipe JusCheck apresentou um aplicativo que fornece informações de crime, pena e julgamento aos familiares de detentos.

As três equipes vencedoras vão para a segunda etapa do evento e têm até o mês de março para desenvolver e preparar a apresentação no idioma inglês. Já a terceira etapa acontecerá presencialmente em Nova Iorque. O Global Legal Hackathon é um evento que ocorre simultaneamente em vinte e dois países, dentro de quarenta cidades. No Brasil, as cidades escolhidas para sediar o evento são Balneário Camboriú, Florianópolis, Jaraguá do Sul, Curitiba, Belo Horizonte, Manaus, Recife e Porto Alegre.

Segundo o Gerente de Inovação da UniAvan, Thiago Berlim, o evento criou inovações para que a justiça esteja acessível de forma mais simples. “Além dos vencedores, tivemos equipes que desenvolveram aplicativo de assistência aos refugiados, experiência jurídica em sala de aula por meio de realidade virtual e uma ferramenta de integração e comunicação entre ONGs, assistências sociais, advogados e varas criminais. Esse último projeto recebeu uma menção honrosa pelo trabalho desenvolvido ao longo desses dias. Acredito que nossas ideias serão levadas até a última etapa e que conseguiremos trazer uma equipe de Balneário Camboriú como campeã geral do evento”, destaca.

Texto: Bianca Pereira

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Solve : *
20 − 19 =