2020 julho

Uma em cada cinco empresas de SC planeja investir já durante a pandemia

Posted by | Economia | No Comments

Levantamento realizado por FIESC, Fecomércio-SC e Sebrae/SC mostra que, apesar dos prejuízos acumulados, setor empresarial busca recursos para investir em novos projetos; além disso, a pesquisa demonstra um movimento de recuperação do emprego, que se confirmou com dados divulgados esta semana pelo Ministério da Economia

Apesar das perdas de faturamento acumuladas nos últimos quatro meses por causa da redução da atividade econômica e da possibilidade de que os efeitos da crise sanitária se estendam por mais tempo, uma em cada cinco empresas do estado pretende realizar investimentos ainda durante a pandemia. Esta é uma das conclusões da quarta edição da pesquisa Impacto do coronavírus nos negócios de Santa Catarina, realizada pelas federações empresariais da Indústria (FIESC), do Comércio, Serviços e Turismo (Fecomércio-SC) e pelo Serviço de Apoio Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina (Sebrae/SC), divulgada nesta quarta-feira, dia 29.
São 18,9% das empresas entrevistadas que informam estar em busca de crédito para novos investimentos e projetos. É um percentual significativo, pois contrasta com a estimativa de perda de faturamento que totaliza R$ 36,7 bilhões nos setores pesquisados, o que representa 8,4% do PIB estadual. Essa redução é de R$ 15,3 bi no comércio, R$ 12,8 bi nos serviços e R$ 8,6 bi na indústria. A análise anterior apresentava que até o final de abril a perda de faturamento em todos os setores tinha sido de R$ 19,6 bilhões.

“Os dados sinalizam a volta do otimismo, que se confirma em outros estudos que realizamos, os quais mostram que abril foi o pior mês do ano para a economia catarinense”, destaca o presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar. “O fato de um em cada cinco empresários buscar recursos para novos projetos mostra a disposição de investir e isso é um dos aspectos mais importantes para que a retomada do crescimento seja sustentável”, destaca Aguiar.
A pesquisa apresentada nesta quarta-feira mostra o retorno das atividades econômicas. Um indicador disso é que, com adaptações, 87,5% das empresas já retomaram as atividades, embora de maneira desigual entre os portes, visto que o micro e pequeno negócio apresentam maiores dificuldades. O levantamento mostra que 25% das empresas estão com o funcionamento normalizado, 40,5% se readaptaram e 21,8% estão com produção reduzida. No outro lado, 11% estão fechadas temporariamente e 1,5%, definitivamente.

Em linha com os dados divulgados esta semana pelo Ministério da Economia, o estudo realizado pela FIESC, FECOMÉRCIO e Sebrae/SC registra um movimento de retomada do emprego. Caiu o número de empresas que reduziram o quadro e aumentou a quantidade daquelas que geraram mais postos de trabalho. Na primeira edição da pesquisa, três em cada quatro (76,8%) empresas catarinenses mostraram ter reduzido a quantidade de trabalhadores contratados. Na atual medição, esse índice caiu praticamente pela metade e agora são 36,9%. Na outra ponta, 10,1% das empresas dizem ter aumentado seus quadros. Trata-se de um volume significativamente maior do que o de 1,6% registrado na terceira edição e que já representava o dobro dos levantamentos anteriores. As medidas previstas na MP 936/2020 são determinantes para a manutenção de emprego e renda, consideram os entrevistados da pesquisa.

O acesso ao crédito é crucial para a manutenção ou retomada das atividades, no entanto, apenas uma em cada três empresas que buscaram, obtiveram empréstimo, ainda que o número de financiamentos obtidos desde maio tenha aumentado 2,3 pontos percentuais. No total, 45,1% das empresas consultadas disseram ter procurado financiamento e somente 16,6% do total o obtiveram. Os entrevistados consideram que o acesso ao crédito poderia ter evitado as falências registradas durante a pandemia – e que são estimadas em 1,5% das empresas. O levantamento indagou os motivos dessas falências e as respostas indicam que 48% foram motivadas pela pandemia (redução de faturamento).
Das demais, 12% são atribuídas a outros problemas não relacionados à pandemia e 40% pelo fato de as empresas já estarem em situação delicada, agravada durante a ocorrência da Covid-19. Neste contexto, 36% das entrevistadas afirmam que as falências poderiam ter sido evitadas caso houvesse acesso ao crédito.

Além do objetivo de realizar novos investimentos e projetos, os principais motivos para a busca de crédito são para fluxo de caixa (58%), pagamento de custos fixos (32,4%) e pagamento da folha e salários (20,3%).
Micro e pequena empresa
Em relação aos pequenos negócios, as atividades mais prejudicadas são dos segmentos da economia criativa, como atividades culturais e artísticas, transportes escolares e turísticos, e eventos. Nesses ramos, seis em cada dez empresas seguem fechadas. O diretor técnico do Sebrae/SC, Luc Pinheiro, destaca que a situação dessas empresas é a mais dramática. “Sabemos que os segmentos devem ser os últimos a voltar com atuação completa e, consequentemente, os últimos a se recuperarem economicamente. Por isso é importante olharmos para esses negócios e buscarmos auxiliar na criação de soluções inovadoras que os ajudem a passar por esse período de crise”, comenta.

O estudo revela também a primeira recuperação de empregos nas micro e pequenas empresas desde o início da pandemia – o percentual de empresas que estão demitindo caiu de 37,7% para 21,8%, enquanto 4% têm saldo positivo de empregados. O segmento também se valeu das prerrogativas da MP 936/2020. No faturamento diário, os pequenos negócios tiveram uma queda de 77% até o dia 12 de abril, período em que as restrições de isolamento social eram mais intensas. A partir daí, as pequenas empresas vêm se recuperando com a volta gradual do funcionamento das atividades, tendo acumulado 58,1% de aumento no período até junho. Da mesma forma, a pesquisa mostrou ainda que o acesso ao crédito vem aumentando com uma maior taxa de sucesso na obtenção de empréstimos na rede bancária, sendo que um a cada três pequenos negócios conseguiram empréstimo, incremento de 13% na taxa de sucesso.

“Esses números são fundamentais para mostrar que, apesar das dificuldades, as políticas públicas adotadas até o momento estão surtindo efeito e apoiando os empresários. O caminho ainda é longo, mas as medidas de apoio aos pequenos negócios já começam a mostrar resultados”, comenta o diretor superintendente do Sebrae/SC, Carlos Henrique Ramos Fonseca.
Comércio e serviços
“Com a leve recuperação do comércio e a contínua dificuldade dos serviços, os dados demonstram a necessidade de elaborar alternativas para a retomada segura da economia”, analisa o presidente da Fecomércio, Bruno Breithaupt. “A pesquisa também atua como instrumento para a construção de uma gestão estratégica e de políticas integradas para essa retomada segura das atividades, observando as questões econômicas, sociais e de saúde pública. Identificando pontos críticos e áreas mais sensíveis, permitindo o direcionamento assertivo dos esforços para os setores mais fragilizados”, adiciona.
Indústria

O levantamento ouviu 445 indústrias e mostra que cerca de 32% dos estabelecimentos do setor realizaram algum tipo de adaptação no processo produtivo para a retomada das atividades. Cerca de 40% do segmento está com redução na produção, um percentual bem inferior aos 68% da edição anterior.
Há uma queda estimada em 19,9% na produção industrial desde 17 de março, com retração de R$ 8,6 bilhões na produção industrial, sendo R$ 7,7 bilhões nas vendas ao mercado interno e R$ 790 milhões nas exportações. Quanto ao acesso ao crédito, em torno de metade das empresas do setor entrevistadas disse não ter buscado financiamento. Entre as demais, uma a cada duas empresas não obteve sucesso.
Conforme a análise, a indústria foi a que mais utilizou as prerrogativas da Medida Provisória 936/2020, afetando 40% dos empregos do setor. Segundo os resultados do levantamento, 40% das indústrias suspenderam contratos de trabalho no período. Já a redução de jornada e de salário foi adotada por 42% das empresas do setor, ou seja, 24,3% dos trabalhadores.

“A pesquisa mostra uma tendência à retomada da economia”, acrescenta o presidente da FIESC. “Se em abril se cogitava uma redução do PIB superior a 10%, hoje as estimativas são de uma queda bem inferior”, complementa.
Foram ouvidas 1,6 mil empresas de 6 a 12 de julho e a margem de erro da pesquisa geral é de 2,9%.

Clínica de Fisioterapia da UniAvan oferece atendimento gratuito para quem já teve Covid-19

Posted by | Educação, Saúde | No Comments

Pessoas que estão com dificuldades respiratórias ou comprometimento motor após confirmação do exame da covid-19 poderão ter atendimento de fisioterapia gratuito no Centro Universitário Avantis – UniAvan, em Balneário Camboriú. A clínica do curso de Fisioterapia fará, a partir da próxima semana, atendimentos à população que ficou com sequelas da doença, após vinte dias de confirmação do exame. Os interessados deverão enviar por WhatsApp o exame comprovando que já tiveram covid ou encaminhamento médico atestando que já tiveram a doença. Os atendimentos serão realizados presencialmente na clínica de fisioterapia da instituição.

Poderão ser atendidos pacientes de qualquer faixa etária nas especialidades de geriatria, respiratória, cardiovascular e uroginecologia e obstetrícia, que passarão por uma triagem antes do atendimento. A fisioterapia irá acelerar o processo de recuperação, com atividades de respiração e de fortalecimento da musculatura periférica, além de exercícios para melhorar a capacidade motora.

Segundo a coordenadora do urso de Fisioterapia, Sabrina Weiss Sties, a iniciativa surgiu devido a demanda de pacientes com a doença. “É necessário que pacientes que tiveram casos mais graves do coronavírus, iniciem a fisioterapia assim que tiverem alta.  Por isso, iremos oferecer auxílio de um fisioterapeuta para melhorar suas condições respiratórias e motoras”, destaca.

Para mais informações, os interessados devem entrar em contato por meio do número (47) 9 9970-0413 ou pelo e-mail: atendimentos.fisioterapia@uniavan.edu.br.

Acadêmicos da UniAvan produzem podcast “Contabilizando ideias” durante aula online

Posted by | Educação | No Comments

Os acadêmicos do curso de Ciências Contábeis, do Centro Universitário Avantis – UniAvan, foram além das aulas expositivas propostas diante da pandemia do Covid-19 e produziram um podcast intitulado “Contabilizando Ideias”. O projeto conta com cinco episódios, além de um piloto de apresentação, e traz discussões sobre temas relevantes da sociedade. Todo o processo contou com o acompanhamento da Professora da disciplina de Comunicação e Endomarketing, Gabriela Piske.

O projeto teve o objetivo de ampliar as competências de escrita e oralidade dos acadêmicos, por meio do desenvolvimento de roteiro e da apresentação de um podcast, além de proporcionar discussões de temáticas que vão além da ementa e ampliar a visão de mundo dos acadêmicos e futuros contadores.

Para a produção do podcast, os acadêmicos utilizaram como aporte teórico para as gravações, os livros “Por que fazemos o que fazemos?”, de Mario Sergio Cortella, e “Nem anjos e nem demônios: a humana escolha entre virtudes e vícios”, de Monja Coen e Mário Sergio Cortella. Em cada episódio, os estudantes fizeram uma relação das teorias dos livros com o que a sociedade está vivendo, em meio à pandemia do Covid-19.

As gravações aconteceram via Google Meet, durante as aulas da disciplina de Comunicação e Endomarketing. Os próprios alunos editaram os áudios utilizando programas de edição específicos. O podcast pode ser ouvido por meio dos links:  https://anchor.fm/contabilizando-ideias e https://open.spotify.com/show/1DOSrSgzKiBu8C5sfKonQA.

Segundo a professora responsável pelo projeto, Gabriela Piske, a ideia surgiu como uma forma de trabalhar os conteúdos de uma maneira diferenciada, já que as aulas estavam acontecendo remotamente. “Pensei em algo que pudesse inovar e deixar as aulas mais ativas e os acadêmicos mais participativos. Participei de todas as gravações dos episódios e fiz comentários como convidada, mas o roteiro foi todo elaborado por eles. O projeto me mostrou que sempre é possível fazer diferente e que as tecnologias podem ser ótimas aliadas no processo de ensino-aprendizagem”, destaca.

Bate-papo online discute retomada econômica e oportunidades para pequenos negócios

Posted by | Empresarial | No Comments

Organizado pelo Sebrae/SC, o evento online será realizado na quinta-feira, dia 30 de julho

Em meio à crise provocada pelo novo coronavírus, são inúmeros os desafios para os pequenos negócios. Porém, o momento também pode apresentar oportunidades. Diante desse cenário, o Sebrae/SC promove no dia 30 de julho, quinta-feira, um bate-papo online para discutir a retomada econômica e as oportunidades para os pequenos negócios. O encontro inicia às 9h30 e conta com a participação de especialistas e de empresários que adaptaram seus negócios para passar por esse período. As inscrições podem ser feitas pelo http://sebrae.sc/webinar-estrategias.
O evento inicia com uma palestra do jornalista e economista Luís Artur Nogueira, em que ele falará sobre os cenários políticos e econômicos na atualidade e as perspectivas pós-crise. Depois da palestra, a gerente de marketing do Floripa Shopping, Claudine Scheidt, e a empresária Ketrin Ramos, da Ketrin Ramos Doceria Artesanal, irão compartilhar como estão inovando nos seus negócios para passar por esse momento de crise. O debate será aberto para perguntas dos participantes e será mediado pelo diretor técnico do Sebrae/SC, Luc Pinheiro, que destaca a importância do encontro para os pequenos negócios. “Com o período de crise, o empresário precisa se reorganizar e pensar novas formas de manter as suas atividades. O Sebrae/SC busca auxiliar nesse processo com webinars, palestras, consultorias e capacitações. Ao discutir essa temática, queremos mostrar para os empresários catarinenses que eles não estão sozinhos e que é possível passar por esse período e manter as atividades dos seus negócios”, comenta.
A gerente de marketing do Floripa Shopping, Claudine Scheidt, vai contar quais foram as estratégias adotadas para a retomada das atividades do shopping neste período. Ela explica que além das medidas de higiene, as lojas passaram a realizar as vendas de forma online para delivery ou fazer a entrega no drive thru, montado na entrada do shopping. “O Floripa ainda teve novidades como a abertura de novos restaurantes e a ampliação da sua rede digital com a instalação de um mega painel de LED, estrutura que fica no vão central e foi projetada para enriquecer a experiência do consumidor, aumentando a visibilidade da marca”, explica Claudine.
Já Ketrin Ramos é proprietária de um ateliê de doces finos e sem eventos durante a pandemia teve que se reinventar para adaptar seu negócio à nova realidade.  Para tanto, organizou formas de levar os doces para as casas dos clientes, além de instituir o sistema drive thru. Outra alternativa encontrada por ela foi explorar as datas comemorativas, como dia das mães e dia dos namorados. “Neste período precisamos pensar primeiro em ser solução e sair da zona de conforto. É muito importante falarmos de estratégias para retomada, pois estará à frente quem estiver preparado”, comenta.
Além do bate-papo online, o Sebrae/SC disponibiliza gratuitamente os materiais com ebooks e guias sobre estratégias de retomada. Os materiais podem ser acessados pelo http://sebrae.sc/kit-estrategias-retomada.

Alunos do Ensino Médio de Itajaí desenvolvem projetos empreendedores

Posted by | Educação, Empresarial | No Comments

Com o intuito de despertar o empreendedorismo nos jovens, o Sebrae/SC, em parceria com a Secretaria de Estado de Educação de Santa Catarina (SED), iniciou a aplicação do “Programa Despertar” em vinte e quatro escolas da Rede Pública de Ensino Médio no estado. Aproximadamente 1100 alunos estão participando do projeto e desenvolvendo novos modelos de negócios que serão apresentados para a comunidade. A iniciativa é acompanhada por professores capacitados e consultores do Sebrae de forma online e faz parte da implementação do Novo Ensino Médio, sendo a parte flexível do currículo escolar.

Na Escola de Educação Básica Nereu Ramos, em Itajaí, dois estudantes do 1º ano do Ensino Médio desenvolveram, através da plataforma “Sebrae Canvas”, um modelo de negócio para pequenos e médios empreendedores com proposta de valores, segmentos de mercado, estrutura de custos, canais de vendas e possíveis parcerias. O aluno Gabriel Lisboa Prestes, 16 anos, participa de competições de Vela no município e conta que seu modelo de negócio é uma espécie de loja de produtos Náuticos com uma escola de Remo e Vela. “Futuramente eu pretendo seguir uma carreira na área Náutica, para levar a todos esse amor e consciência ambiental em relação aos oceanos, através do meu futuro negócio. Essa experiência toda foi muito produtiva, educativa e apaixonante. O curso mal começou e já estou muito empolgado!”, comenta.

Já a aluna Isabelle Cristine Marques Serra, de 15 anos, criou seu modelo de negócio para a área do Design. “Pesquisei bastante sobre os tipos de micro e grandes empresas e escolhi o desing por ser um ramo que tem tomado muito espaço no mercado brasileiro e consequentemente na área dos negócios. Acredito que o Curso Despertar tem acarretado não só em mim, mas em todos os alunos um “espírito empreendedor”, trazendo conhecimento que pode ser usado em um futuro próximo, além de me trazer informação e entendimento sobre todas as etapas que uma empresa precisa seguir para chegar ao sucesso”, destaca.

Além do desenvolvimento do projeto online, uma das propostas do programa é a construção do modelo de negócios de forma física, com materiais que os estudantes têm disponíveis em casa para visualização das etapas. Na Escola de Educação Básica Nereu Ramos o programa está sendo aplicado pelo Professor Israel Raulino Coelho, juntamente com o Consultor do Sebrae Aglair Fernandes. “Aos poucos, os alunos foram percebendo que eles já possuíam muitas habilidades e competências que estão ligadas ao perfil do empreendedor e puderam escolher propostas que eles já tinham conhecimento como: escola de veleiros e loja de materiais para barcos a vela; design gráfico; aulas de piano; etc. Essa iniciativa foi muito enriquecedora para os alunos, porém para mim foi mais ainda, pois pude ter ainda mais experiência como professor de educação empreendedora”, finaliza.

O Programa Despertar torna o jovem mais apto a atuar em um mundo com novas relações de trabalho e a assumir o papel de empreendedor em quaisquer situações que se apresentem em sua vida. O projeto deve seguir até o fim do ano e a expectativa é de que após a conclusão seja realizada a feira do jovem empreendedor, para que os alunos possam mostrar suas ideias de negócio para a sociedade catarinense.

Novo Ensino Médio

O projeto Despertar é uma assessoria que está sendo aplicada dentro da nova matriz curricular do ensino médio, que conta além da base das disciplinas comuns, com uma base flexível que procura atender às demandas da juventude. Aproximadamente trinta e três escolas catarinenses responderam a um questionário e escolheram o componente curricular eletivo do empreendedorismo para ser trabalhado ao longo do ano.

Para a Diretora da EEB Nereu Ramos, Regiane de Jesus Vieira, programas como o Despertar são fundamentais para o processo ensino aprendizagem dos alunos do novo ensino médio, por apresentarem uma dinâmica que vai além da sala de aula. “Este projeto foi de grande valia, principalmente no momento como este em que estamos vivendo. Mesmo com todas as dificuldades nossos alunos foram além e provaram que quando queremos construir algo, realmente fazemos acontecer. Com certeza os alunos estarão preparados para o mercado de trabalho”, comenta.

 

Núcleo de Empresários de Camboriú lança campanha para conscientizar população sobre cuidados durante a pandemia

Posted by | Empresarial | No Comments

O Núcleo de Empresários de Camboriú, da Associação Empresarial de Balneário Camboriú e Camboriú (Acibalc), está encabeçando uma campanha de conscientização sobre a importância de seguir as recomendações sanitárias para evitar a proliferação do Covid-19. A ideia da campanha surgiu devido ao alto índice de casos da região e tem a intenção de controlar o número de casos, além de evitar maiores impactos econômicos no município.

A campanha é realizada em duas frentes e foca na conscientização da população para a escolha segura na utilização de máscaras de proteção respiratória, distanciamento social em locais públicos e privados e higienização das mãos com freqüência, além de fortalecer o trabalho conjunto com a sociedade civil organizada do município, representada pela OAB, CDL, AMPE, Rotary Club e Lions Clube de Camboriú.

Segundo o Coordenador do Núcleo de Empresários de Camboriú, Cássio de Paula, a Acibalc buscou o engajamento das entidades para diminuir os impactos na saúde e na economia causados pela pandemia. “A campanha foi pensada para impactar as pessoas sobre as recomendações sanitárias, fazendo com que a população reflita, por exemplo, se prefere o uso de máscaras para se proteger ou as máscaras no hospital, por não conseguir mais respirar sozinho. A gente pode escolher um caminho mais seguro para todo mundo e é isso que queremos ao conscientizar a população”, destaca.

1º Festival Delivery Gastronômico Costa Esmeralda conta com 25 restaurantes e delícias da região

Posted by | Empresarial, Gastronomia | No Comments
A região da Costa Esmeralda está vivenciando uma nova experiência de consumo gastronômico até o dia 10 de agosto: a 1ª edição do Festival Delivery Costa Esmeralda. Ao todo, 25 restaurantes das cidades de Itapema, Porto Belo e Bombinhas irão ofertar pratos exclusivos que valorizam a culinária local, no valor de R$39,90 (individual ou para duas pessoas a critério de cada restaurante) e sem taxa de entrega até 8 quilômetros. Os pedidos serão realizados por meio do aplicativo Delivery Much, disponível para Android e IOS.
O evento promete divulgar a diversidade gastronômica da região e conta com pratos como hambúrgueres, risotos, pizzas, pastéis, peixes, batatas recheadas, culinária japonesa, culinária mexicana e culinária árabe. O evento gastronômico propõe uma experiência diferente e saborosa, em tempos de recomendação para que as pessoas permaneçam em casa o máximo do tempo possível. Diante da pandemia do novo coronavírus, os pratos serão preparados e entregues seguindo todas as normas de higiene sanitárias.
Para participar deste valor o festival incentiva os clientes a realizarem a doação de 1 quilo de alimento não perecível, que será destinado às comunidades carentes ao final do evento. Os alimentos podem ser entregues para o motoboy na hora da entrega.
O 1º Festival Delivery Gastronômico Costa Esmeralda é uma organização da agência Love Marketing, com apoio do Costa Esmeralda Convention & Visitors Bureau e do Sebrae/SC na divulgação do evento. O Festival tem patrocínio da Al Fero Birrificio, uma cervejaria com tradição e contexto histórico de Nova Trento e da Delivery Much (aplicativo de pedidos e entrega).
Confira os estabelecimentos participantes:
Arábicas Especialidades Árabes
Efe’s Restaurante e Choperia
Hay Sushi
Yes Chicken
252 Conveniência
Kuchenhaus Delicatesse
Mr. Ching
Capitão Açaí
Batata & Cia
Roma Pizzaria e Choperia
Água de Coco
Boulevard Pizza
Los Passos
Tasty Beach Itapema
Rei do Dog
Grelhô Burger
Xizito
La Brasa
Bistrô Platinum
Kaza Di Frango
Mello’s Restaurante
O Alquimista
Forneria Oliva
Hon Fusion
Choperia Mar de Fora
Texto: Bianca Pereira

Ação Internúcleos de Cooperativas arrecada 10 toneladas de alimentos durante campanha do Dia C

Posted by | Empresarial, Geral | No Comments
Os Núcleos de Cooperativas do estado, liderados pelo núcleo da Associação Empresarial de Balneário Camboriú e Camboriú (Acibalc), arrecadaram pouco mais de 10 toneladas de alimentos durante a campanha de arrecadação, em alusão ao Dia C – Dia de Cooperar, comemorado no dia 4 de julho. Participaram da ação, núcleos de cooperativas das entidades de Rio do Sul (ACIRS), Itajai (ACII), Navegantes (ACIN) e o núcleo de cooperativas da AJORPEME, de Joinville. Os donativos foram entregues a entidades e famílias atingidas pela crise do coronavírus.
Em Balneário Camboriú e Camboriú foram arrecadadas 450 cestas, 255 litros de leite e mais de 140 litros de produtos de limpeza incluindo álcool 70%. As doações foram entregues para as entidades de Camboriú Ama e Razão de Viver e em Balneário Camboriú para a FACDD e o Asilo Lar de Idosos São Vicente de Paula, além de famílias atingidas pela crise. Em Itajaí foram arrecadadas 215 cestas, que foram doadas a Casa das Anas. O núcleo de Joinville arrecadou 110 cestas, que foram doadas para o Movimento “Quem se Importa Joinville”. Já em Navegantes, foram arrecadados 154 cestas doadas ao Ama e ao Grupo da Melhor idade São José e em Rio do Sul o total arrecadado foi de 110 cestas doadas à famílias de baixa renda.
As ações do Dia C foram pautadas em três princípios do cooperativismo, sendo Intercooperação – através da união dos núcleos de cooperativas da região, a Educação, por meio de lives com conteúdos relevantes e atuais para o empresariado e o público geral e o Interesse pela Comunidade, com a arrecadação de alimentos para as instituições.
Segundo a Coordenadora do Núcleo de Cooperativas da Acibalc, Jessica Maria Busarello, a união e o engajamento das equipes tornou o resultado além do esperado. “Quando comentamos a ação com os demais núcleos, eu dizia que a cada uma 1 tonelada, nos teríamos ao final da campanha, 5 toneladas e não só 1. Para nossa surpresa só as de Balneário Camboriú totalizaram mais de 5 e com os outros chegamos a 10 toneladas. A nossa campanha repercutiu de forma bem positiva e espero que possamos juntar todas as cooperativas para  fazer ações do Dia C juntos novamente e atingirmos um número maior de pessoas”, ressalta.
Texto: Bianca Pereira

Webinar auxilia empreendedores a criar uma Empresa Simples de Crédito

Posted by | Empresarial | No Comments

Evento do Sebrae/SC é gratuito e será realizado no dia 15 de junho

Em 2019, foi sancionada a Lei Federal que criou a figura jurídica da Empresa Simples de Crédito, cujo objetivo é tornar mais acessível o crédito para microempreendedores individuais, microempresas e empresas de pequeno porte através de operações como empréstimos, financiamentos e descontos de títulos. Desde então, qualquer pessoa física com recursos próprios pode constituir uma Empresa Simples de Crédito (ESC). Para auxiliar os empresários no processo de constituição de uma ESC, o Sebrae/SC promove no dia 15 de julho, às 10h, um webinar gratuito que vai orientar os empresários. As inscrições podem ser feitas pelo http://sebrae.sc/webinar-esc.

Participam do evento o gestor de projetos da área de inovação e acesso a serviços financeiros do Sebrae/SC, Roberto Tavares, o gestor do Programa Nacional Sebrae+Finanças, Adalberto de Souza Luiz, e o especialista em gestão estratégica de negócios Airton Luiz Rigotto.

De acordo com Roberto Tavares, as empresas simples de crédito podem ter um papel fundamental neste momento de retomada econômica pós crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. “Esse modelo de empréstimo é muito importante pois poderá abrir outra alternativa de crédito aos empresários. Essas empresas têm um papel importante neste momento e com esse webinar buscamos auxiliar os empresários que têm interesse em constituir uma ESC”, comenta Roberto.

A ESC poderá ter três tipos de modelo empresarial: empresa individual de responsabilidade limitada (EIRELI), empresário individual ou sociedade limitada. O volume de operações está limitado ao seu capital social, ou seja, ela só pode emprestar recursos próprios e a fonte de receita é, exclusivamente, oriunda dos juros recebidos das operações realizadas. Além disso, a atuação da empresa é restrita ao município e a sua vizinhança.

Outras características de destaque são que cada pessoa física pode participar de apenas uma ESC e não são permitidas filiais, assim como as empresas não poderão contrair empréstimos para poder emprestar mais. A receita bruta anual da ESC não pode ser superior a R$ 4,8 milhões, vedada a cobrança de encargos e tarifas e o regime de tributação será pelo Lucro Real ou Presumido, não podendo, portanto, enquadrar-se no Simples Nacional.

Retorno às aulas presenciais será optativo na UniAvan

Posted by | Educação | No Comments

Instituição aderiu ao Ensino Híbrido. Cada acadêmico decidirá se deseja assistir as aulas presencialmente ou online.

Os acadêmicos da UniAvan poderão decidir se desejam retornar para os encontros presenciais a partir do segundo semestre ou se continuam participando das aulas remotamente nas plataformas virtuais disponibilizadas pela instituição. O Centro Universitário irá aderir ao formato de Ensino Híbrido a partir do dia 3 de agosto.

A UniAvan foi a primeira Instituição de Ensino Superior (IES) da região a aderir ao formato de ensino online, logo no início das medidas de prevenção contra o coronavírus. Agora cada aluno deverá preencher um formulário informando se deseja voltar para os encontros presenciais ou continua com as aulas online.

A reitora do Centro Universitário explica que durante todo o primeiro semestre foram analisadas as ferramentas de ensino disponibilizadas e o processo de aprendizagem. “Entendemos que as estratégias adotadas para aulas online tiveram um resultado muito positivo e analisamos diversas possibilidades. Constatamos que neste momento o Ensino Híbrido seria uma alternativa segura e o estudante avalia se deseja ou não voltar neste momento. Aqueles que preferem estudar em casa ou pertencem ao grupo de risco, por exemplo, terão exatamente a mesma aula”, esclarece a reitora.

Além de estar disponível na sala de aula, o professor irá transmitir a aula ao vivo para os alunos de casa. A UniAvan está fazendo um reforço na infraestrutura de internet para otimizar a conexão durante os horários das aulas.

Já as avaliações individuais continuarão de modo remoto, a todos, independente da forma de estudo escolhida pelo estudante. As práticas e estágios presenciais continuam sendo ofertados com uma formatação específica que permite o distanciamento social seguro.

 

Reforço nas medidas de biossegurança contra a covid-19

 

A instituição criou uma série de medidas e protocolos de biossegurança contra o coronavírus. As aulas presenciais serão limitadas a 50% da capacidade da sala de aula, respeitando-se o distanciamento mínimo, obrigatório, de 1,5 metros entre as pessoas e uso obrigatório de máscara.

A UniAvan também está realizando aferição de temperatura de alunos, colaboradores, professores e visitantes antes da entrada nos prédios da IES, disponibiliza álcool em gel em todos os espaços comuns, reforçou a rotina de limpeza e sanitização de todos os setores e salas e criou um fluxo de entrada e saída, evitando que as pessoas esbarrem entre si nos corredores e escadas, dentre outras ações.